A falsa oposição

Virou moda argumentar por ai que muitas vezes uma oposição é simplesmente parte do sistema e que visa nele dar legitimidade ao pólo dominante. Especialmente em uma era pretensamente democrática, essa dinâmica estaria bastante “disseminada”. No final tudo seria um teatrinho, uma “tragédia” onde nosso herói constantemente apanha, mas que sua presença ou sobrevivência nos anima para uma luta impossível, que desvia nossos olhares do running the show dos bastidores.

Bem, é uma análise de dinâmica interessante. Politicamente deixar uma válvula de escape para a insatisfação, mas que controlada o suficiente para nunca atingir a massa crítica necessária para mudar algo, parece bastante sábio.

Que o diga nosso genial Gobery do Couto e Silva. General ‘sombra’ do regime militar brasileiro que montou o sistema Arena-MDB e controlou a dissenção gradual do regime. O objetivo era justamente ter uma oposição incapaz mas existente que permite que os militares chamem até hoje o periodo de democrático. Cassaram parte do legislativo opositor, fecharam bases de sustentação dos ramos mais radicais da oposição (sindicatos, etc) deixaram pois uma mirrada oposição moderada que tinha sempre que tomar cuidado para não se exceder no seu papel.

Claro que alguns MDBistas eventualmente se cansaram de ser marionetes. Em uma eleição dos anos 70 quase chegaram a boicotar uma eleição completamente, o que teria dado todos os cargos ao Arena mas teria tirado essa sua relativa legitimidade. Felizmente não o fizeram, e naquela eleição conquistaram tudo o que podiam no legislativo e quase todos os governos estaduais. Um sério golpe até em um estrategista brilhante como Golbery. E preparou as bases futuras para um movimento democrático grande, gerou quadros capazes e conhecidos.

Enfim, digo isso porque algumas opiniões muito contra intuitivas começaram a ganhar lugar que direcionam à inação política ao declarar que “resistance is futile”. Oposição é parte do sistema, você é nada mais que parte do show, etc. As vezes é uma análise interessante, mas cega para dimensões do problema que são muito mais facilmente acessíveis através da prática política. Uma oposição latente é sempre uma oposição latente, um perigo, uma infecção do sistêma que, baixada a imunidade, pode virar uma doença letal. Enfim, a importância de se ater as particularidades.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s